Loading...

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

TUPI OR NOT TUPI! Ser ou não ser um Saci!

Diário da Corte Somos um país com um passado de dominação colonial europeia ao menos oficialmente por mais de trezentos anos, mas que considero sermos até hoje um colônia cultural dos EUA. Hoje passamos a adotar uma tradição que nunca fez parte de nossa história de tradição católica portuguesa. O dia das bruxas ou halloween e comemorado por aqui por como dizia o odiado mais reverenciado por muitos o já falecido Paulo Francis com sua imperdível coluna na época no Estadão: “Diário da corte”. Hoje fiz um teste para saber se ainda existia alguém velho e do tempo do Saci Pererê como eu. No projeto que desenvolvo em sala de aula: http://blognaescolain.blogspot.com.br/ Ofereci duas alternativas de postagem como tema de aula, o dia do Saci ou o dia das Bruxas e como não foi para minha surpresa a maioria obviamente escolheram o tema que desde nosso descobrimento ainda insistimos ou queremos fazer parte do calendário cultural da Corte. A maioria escolheu o dia das bruxas embora alguns ainda se sentiram sensibilizados pelo nosso duende tropical: Moleque levado e endiabrado: O Saci Pererê.

QUE DIA É HOJE? O DIA DO SACI OU O DIA DAS BRUXAS- Halloween

Que dia é hoje? Hallowen ou o dia do Saci? Escolha e faça uma postagem sobre o tema justificando sua resposta.
O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil. O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca. Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico. Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia europeia um gorrinho vermelho. A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc. Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos. Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa. Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau. FONTE BRASIL-ESCOLA O DIA DAS BRUXAS Etimologia O primeiro registro do termo "Halloween" é de cerca de 1745 anos. Derivou da contracção do termo escocês "Allhallow-eve" (véspera do Dia de Todos os Santos) que era a noite das bruxas. 5 Posto que, entre o pôr-do-sol do dia 31 de outubro e 1° de novembro, ocorria a noite sagrada (hallow evening, em inglês), acredita-se que assim se deu origem ao nome actual da festa: Hallow Evening Hallowe'en Halloween. Rapidamente se conclui que o termo Dia das bruxas não é utilizado pelos povos de língua inglesa, sendo essa uma designação apenas dos povos de língua (oficial) portuguesa. Outra hipótese é que a Igreja Católica tenha tentado eliminar a festa pagã do Samhain instituindo restrições na véspera do Dia de Todos os Santos. Este dia seria conhecido nos países de língua inglesa como All Hallows' Eve. Essa designação se perpetuou e a comemoração do halloween, levada até aos Estados Unidos pelos emigrantes irlandeses no século XIX, ficou assim conhecida como "dia das bruxas", uma lenda histórica História Um cartão comemorativo do Halloween. A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcas das diferenças em relação às atuais abóboras ou da famosa frase "Gostosuras ou travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão (samhain significa literalmente "fim do verão"). A celebração do Halloween tem duas origens que no transcurso da História foram se misturando: Origem Pagã A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objetivo dar culto aos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou mesclando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou minguando com o tempo. Em fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo, já tinha desaparecido na maioria das comunidades. Pouco sabemos sobre a religião dos druidas, pois não se escreveu nada sobre ela: tudo era transmitido oralmente de geração para geração. Sabe-se que as festividades do Samhain eram celebradas muito possivelmente entre os dias 5 e 7 de novembro (a meio caminho entre o equinócio de verão e o solstício de inverno). Eram precedidas por uma série de festejos que duravam uma semana, e davam ao ano novo celta. A "festa dos mortos" era uma das suas datas mais importantes, pois celebrava o que para os cristãos seriam "o céu e a terra" (conceitos que só chegaram com o cristianismo). Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. As festas eram presididas pelos sacerdotes druidas, que atuavam como "médiuns" entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo. Origem Católica Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar "Todos os Mártires". Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV († 615) transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (Panteão) num templo cristão e o dedicou a "Todos os Santos", a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III († 741) mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e "All Hallow Een" até chegar à palavra atual "Halloween". fonte wikipedia

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

O Grafite é arte ou como dizem os leigos: pichação?

Boa tarde! Queridos Alunos do BJ. Estamos chegando ao final do semestre e nas próximas três aulas a partir de hoje, estarei computando as postagens e fechando suas notas conforme a quantidade de postagens de cada um e como prometi, o melhor Blog será contemplado com um prêmio, um MP3 de dois Gigas. Hoje quero uma postagem sobre o evento que será realizado no mês próximo em comemoração ao dia da Consciência Negra, 20 de Novembro. Iremos grafitar como todos os anos fazemos com os melhores grafiteiros de São Paulo e desde já gostaria que vocês participassem do evento e me ajudassem também, vendo, aprendendo e até participando junto aos artistas. O tema da postagem é: O Grafite é arte ou como dizem os leigos, quase pichação? 1- Qual a diferença entre o Grafite e a Pichação? 2- O que vocês acham de para o próximo ano, termos oficinas de grafite na escola, como um projeto pedagógico? 3- Como eram os muros da escola antes de iniciarmos o Projeto Grafite? 4- Quero também que vocês elaborem uma pergunta que vocês irão fazer a uma artista que virá conhecê-los e bater um papo em breve. Qualquer pergunta desde que seja uma curiosidade de vocês sobre o tema ou sobre o trabalho da artista. 5- Vocês verão um pequeno documentário sobre o trabalho da Mag. Magrela, sua vida e trabalho nas ruas de São Paulo, o link estará logo abaixo. Mãos a obra!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

A Política dos três P e a justiça social brasileira.

Vamos recordar aquilo que nossa história oficial e aqueles a quem a registra não querem e nem sequer interessa! Que tal brincarmos e passearmos em um jardim e uma praça que um dia foi palco deste genocídio e seu chão banhado de sangue? 111 foram o número oficial de detentos cruelmente assassinados e também o número que alguns políticos de São Paulo tinham como seu número de TRE e concorriam as eleições com o perverso lema: “Bandido bom é bandido morto”. Longe estou eu de defender criminosos, mas os direitos humanos existem para todos e a justiça deveria também servir igualmente a todo mundo, sem distinção de cor, social ou gênero. O velho e antigo deitado ainda vale para os dias de hoje: No Brasil só é preso e condenado e passa a fazer parte do sistema carcerário os três P: Preto, pobre e puta e esta terrível constatação se originou do que os escravos recebiam em troca dos trabalhos forçados: Pão (aquele que o diabo amassou), Pau (a qualquer ato de insubordinação) e Pano (uma única peça de roupa durante o ano todo, sendo esta do tecido mais vagabundo e barato). Acho que ainda temos ranços a superar e injustiças a serem reparadas e fatos que jamais podem ser esquecidos.